segunda-feira, 20 de junho de 2011

Criado aparelho que emite cheiro na TV

Cheiro de pizza que invade a sala não vem do entregador.
São Paulo – Imagine sentir cheiro de pipoca quentinha, café com baunilha ou até mesmo o perfume daquela beldade que aparece nos comerciais de televisão?
O desejo de inserir mais um sentido à experiência visual de televisores é antigo, mas está um passo mais próximo da realidade com o feito alcançado por pesquisadores americanos e coreanos: eles criaram um aparelho que libera odores correspondentes à imagem que você está vendo na TV ou no seu smartphone.

Em um trabalho recém-publicado na Angewandte Chemie, eles demonstraram que é possível gerar milhares de odores em um pequeno dispositivo que cabe na parte de trás da TV.
A ideia levou dois anos para ficar pronta; ela partiu do Samsung Advanced Institute of Technology (SAIT), instituto de pesquisa na Coréia , que procurou um grupo da Universidade da Califórnia, em San Diego, para conceber os meios práticos do dispositivo.
Perfume de mulher
Para fazer com que uma fragrância suave seja emitida quando uma bela mulher aparecer na TV, e também com que o cheiro de queijo invada a sala quando uma pizza estiver sendo fatiada na telinha, é preciso um sistema capaz de gerar instantaneamente diferentes odores que combinem com a imagem.

O problema é que seria preciso uma quantidade enorme de circuitos, milhares, para dar conta de todos eles. Para solucionar o problema, os pesquisadores usaram um sistema de matriz X-Y com apenas 200 controles (100 no eixo “X” multiplicados por 100 no eixo “Y”) que podem ativar seletivamente 10 mil odores diferentes.
O cheiro liberado vem de uma solução aquosa, como amônia, que é aquecida por um fio fino de metal no qual passa uma corrente elétrica e gera um gás. A solução fica em um compartimento de silicone atóxico e não inflamável. Quando o calor e a pressão do gás aumentam, um pequeno buraco no material elástico se abre, liberando o odor. A ideia é que o aparelho funcione com cartuchos, de forma similar a uma impressora: quando o cheiro começar a ficar fraco, você troca a carga.
Em testes feitos com dois perfumes comerciais  (“Live by Jennifer Lopez” e “Passion by Elizabeth Taylor”), participantes conseguiram distinguir diferentes odores estando a 30 cm do aparelho.  O próximo passo é criar um protótipo em escala maior.
Ainda existem também os problemas lógicos: por um lado, é fácil emitir odores mais genéricos (pipoca, flores, café), mas, por outro, se um anunciante quisesse emitir a fragrância exata de seu perfume, seria preciso colocar um cartucho específico para aquele produto no televisor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário